Implantoclínica Odontologia

A prevenção do câncer bucal começa pelo dentista

Implantoclínica | 01.Nov

A prevenção do câncer bucal começa pelo dentista

De 4 a 8 de novembro acontece a Semana Nacional de Prevenção do Câncer Bucal no país. O período, previsto na Lei nº 13.230/2015, é realizado sempre na primeira semana de novembro. O câncer de boca (ou câncer oral) afeta os lábios e o interior da cavidade bucal. A estimativa de novos casos de câncer de boca para 2018, segundo o Instituto Nacional do Câncer (INCA), foi de 14,7 mil, sendo 11,2 mil homens e 3,5 mil mulheres.

O tabagismo em todas as suas formas (cigarro, cachimbo, charutos, rapé e fumo mascado) é o principal fator de risco para o câncer de boca. Cerca de 90% dos casos de câncer bucal ocorrem em fumantes!
Diante da suspeita de um câncer de boca, a primeira coisa a fazer é procurar um especialista, ou seja, um dentista ou um cirurgião de cabeça e pescoço, que vai avaliar o caso e pedir exames para descartar ou confirmar a suspeita de câncer. Por causa da localização, um número significativo de casos câncer de boca é identificado por dentistas.
A irritação provocada por dentes ásperos e superfícies irregulares  das bochechas, assim como próteses e dentaduras frouxas ou mal adaptadas, podem causar lesões com potencial de malignidade. Além disso, dentaduras, pontes e coroas que não estão bem ajustadas podem reter agentes causadores de câncer, como partículas de tabaco e álcool. Por isso, essas próteses precisam ser avaliadas periodicamente pelo dentista e as dentaduras, removidas e limpas todas as noites.

 

SINAIS E SINTOMAS

Os sinais e os sintomas de câncer de boca variam de pessoa para pessoa e muitos deles são comuns a várias doenças benignas. No entanto, como a detecção precoce é muito importante para o sucesso do tratamento, é importante consultar um dentista ou um especialista em cabeça e pescoço se apresentar algum dos sintomas abaixo.

  • Ferida na boca que não cicatriza (sintoma mais comum)
  • Dor na boca que não passa (comum em fases mais avançadas do câncer)
  • Nódulo persistente ou espessamento da bochecha
  • Área vermelha ou esbranquiçada nas gengivas, língua ou revestimento da boca
  • Dificuldade para mastigar
  • Dificuldade para mover a mandíbula ou a língua
  • Dormência da língua ou de outra área da boca
  • Inchaço da mandíbula que faz dentadura ou prótese desencaixar ou incomodar
  • Dentes que ficam moles ou frouxos na gengiva ou dor em torno dos dentes ou da mandíbula
  • Mau hálito persistente
  • Perda de peso inexplicável

 

PREVENÇÃO:
A Organização Mundial da Saúde (OMS) estima que a prevenção pode ajudar a reduzir a incidência de câncer em até 25% até 2025. Atitudes simples como abstenção de fumo e bebidas alcoólicas, dieta rica em alimentos saudáveis e boa higiene oral diminuem as chances de desenvolver a maioria das doenças malignas, inclusive os tumores na boca que são os mais comuns tipos de câncer de cabeça e pescoço no Brasil.


Algumas lesões podem anteceder o câncer bucal e dessa forma são denominadas como lesões pré-cancerizáveis ou pré-malignas, apesar de nem todas progredirem para câncer e nem todo câncer de boca originar-se dessas lesões. Apenas 15% dos casos são diagnosticados em estágios iniciais e 85% são casos avançados, mais difíceis de tratar, devido ao baixo acesso da população a serviços médicos e odontológicos.


Sendo assim, é de extrema importância realizar consultas periódicas com o dentista para uma inspeção completa, verificando não só os dentes, mas também os lábios, gengivas, bochechas, céu da boca, língua (principalmente as bordas), além da região embaixo da língua.


A IMPLANTOCLÍNICA